CONFIRA O PROGRAMA BOM GESTOR PÚBLICO SOBRE ESSE PROJETO:

 

Parque de Cordas foi inspirado nos parquinhos infantis da Europa e proporciona o desenvolvimento da coordenação motora, equilíbrio e curiosidade das crianças

Em um mundo cada vez mais conectado, as brincadeiras infantis acabaram ficando de lado no cotidiano das crianças. Entretanto, a tecnologia pode prejudicá-los, tirando um fator essencial para o seu desenvolvimento: o convívio com os amigos e colegas. Para mudar essa realidade e oferecer um espaço de lazer com qualidade para eles e a família, a Prefeitura de Maringá, no Norte Central paranaense, desenvolveu o projeto Parque de Cordas.

Secretário de Mobilidade Urbana, José Gilberto Purpur, recebe o Troféu PGP-PR pelo projeto Parque de Cordas

Em uma viagem à Europa, os gestores municipais perceberam que os parquinhos estrangeiros eram diferentes dos brasileiros. Enquanto aqui eles são produzidos com metal, o que pode machucar as crianças e enferrujar com o tempo, lá eles são feitos com cordas e um piso especial para absorver o impacto em caso de quedas. Foi o que motivou a criação do Parque de Cordas, presente em 19 bairros de Maringá, todos nas regiões periféricas da cidade, onde não haviam opções de lazer para as crianças.

Para que a iniciativa fosse implementada, a Secretaria de Mobilidade Urbana estudou o modelo estrangeiro e buscou fornecedores. Todas as peças foram feitas no Brasil, o que ajudou a baratear a produção dos materiais. A iniciativa também foi possível devido a um outro projeto, este do Governo do Paraná, o “Meu Campinho”, que conta com uma quadra de futebol com grama sintética e bancos com sombras.

As áreas de lazer reúnem também bicicletários, bebedouros, mesas de jogos, floreiras, lixeiras e rampas de acessibilidade. O solo do parque é produzido com pneus reciclados, triturados e moldados in loco, ajudando a absorver possíveis quedas das crianças e evitando que elas se machuquem.

O Parque de Cordas e o Meu Campinho têm um orçamento médio de R$ 480 mil cada unidade, entre custos para construção, calçamento e terraplanagem, com recursos do governo do Estado. Entre os principais benefícios estão o desenvolvimento da coordenação motora das crianças, equilíbrio e curiosidade, além de um espaço de lazer para toda a família, beneficiando a população de 19 bairros. Os bons resultados garantiram ao projeto o Troféu Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR) 2019, uma das premiações mais importantes desse segmento no país.

Mais informações sobre esse projeto e sobre outras iniciativas premiadas no PGP-PR, você encontra no nosso Banco de Projetos.

Relacionados

13 DE NOVEMBRO DE 2020

Moradores participam ativamente da gestão pública em Cascavel

Os voluntários do Território Cidadão - Cascavel Desenvolvimento Territorial repassam...

6 DE NOVEMBRO DE 2020

São Jorge do Ivaí combate pragas em plantações e aumenta renda dos produtores

Monitoramento de Doenças e Parasitismo em Percevejos nas Culturas Soja e Milho fez com...

30 DE OUTUBRO DE 2020

Araucária melhora educação com formação continuada para professores

Psicomotricidade e Afetividade: O Comprometimento Afetivo no Fazer Pedagógico –...

23 DE OUTUBRO DE 2020

Ponta Grossa acaba com problemas de enchentes e recupera meio ambiente

Planejamento Ecológico do Arroio Olarias fiscalizou moradias, promoveu a regularização...

16 DE OUTUBRO DE 2020

Guaíra investe em tecnologia da informação e amplia atendimento do SUS

Projeto Saúde Digital investiu em equipamentos novos de informática e atualização de...

9 DE OUTUBRO DE 2020

Santana do Itararé aumenta produção de leite e combate êxodo rural

Programa de Inseminação Artificial melhorou a genética do gado e aumentou a renda dos...