Premiado pela 7ª edição do Prêmio, projeto oferece benefícios para os doadores de sangue do município

O projeto Doação de Sangue, desenvolvido no município de Altamira do Paraná, ultrapassou em 40% a meta de doadores mensais. A ação foi iniciada em alusão ao Dia Mundial do Doador de Sangue, em 14 de junho de 2017. Na época, foi estabelecida uma meta para que, até o dia comemorativo, a Equipe Programa Estratégia Saúde da Família (PSF) captasse no mínimo 15 doadores de sangue. Em 2018, contatou-se que foram alcançados 22 doadores mensais.

“A repercussão foi tão positiva a adesão que essa Secretaria de Saúde propôs, com segmentos de ação e criando assim o projeto: Fazendo o bem, sem olhar a quem. Porque o sangue é essencial a vida e nada o substitui, 450ml de sangue pode salvar no mínimo outras três vidas”, ressalta a prefeita de Altamira do Paraná, Elza Aparecida da Silva Aguiar.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu o parâmetro de que 1% da população deve ser doador de sangue. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, o índice é de 1,8%. Antes, o de Altamira do Paraná era bem abaixo do parâmetro estabelecido, sem nem possibilidade de mensuração por falta de organização. Hoje já ultrapassa, com 1,13% de doadores no município.

CONHEÇA O PROJETO DOAÇÃO DE SANGUE

Projeto Doação de Sangue

O município de Altamira do Paraná tinha dificuldade de organizar um banco de doadores. Isso porque os voluntários precisavam se dirigir até o hemonúcleo da região, localizado em Campo Mourão, há 2h do local de origem. Em virtude disso, os habitantes se sentiam desmotivados a se tornarem doadores.

Além desse fator, existia uma queixa pela falta de conscientização e informação. E, por mais que existissem tentativas de mudar esse cenário, a comunidade não se sensibilizava e a maioria dos resultados eram negativos.

A Secretaria de Saúde desafiou então os quinze Agentes Comunitários de Saúde para que cada um deles indicasse um voluntário e fosse criado um banco de dados de doadores. Como incentivo, o município oferece Café VIP e Transporte Exclusivo aos doadores no dia da coleta de sangue, o investimento é de R$ 270 mensais. O município também aplica R$ 1000 de divulgação anual do projeto.

“É muito bom a gente saber que está indo lá e deixando o sangue para ajudar as pessoas. Está sendo de grande valor, porque é o único município que tem esse programa de levar uma vez por mês o doador para coletar o sangue”, reforça a doadora do projeto Valdelia Barbosa Machado.

PROJETO É PREMIADO
Em 2019, o Doação de Sangue conquistou o Certificado de Reconhecimento da 7ª edição do Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR). Iniciativa do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (Sindafep), o Prêmio incentiva as boas práticas de gestão pública e já é considerada uma das premiações mais importantes desse segmento no Brasil.

Doação de Sangue foi coroado na 7ª edição do Prêmio Gestor Público Paraná

“Para nós foi muito importante, porque era uma ação que estava fazendo o bem. Foi muito gratificante sermos premiados pelo Prêmio Gestor Público Paraná, eu vejo que deu uma levantada na equipe de trabalho”, garante a prefeita de Altamira do Paraná, Elza Aparecida da Silva Aguiar.

Em sete edições, o Prêmio já acumula 904 projetos homologados e 265 premiados. Todas essas iniciativas ficam disponíveis para consulta no nosso Banco de Projetos. Assim, os projetos implementados nos municípios paranaenses participantes podem servir de inspiração para administradores públicos de todo o país. Os gestores podem buscar projetos de diversas áreas, entendendo o seu funcionamento e plano orçamentário, de tal forma que possam ser implementados em qualquer lugar.

“Em tempos de alta cobrança de eficiência no setor público, o Prêmio reafirma o interesse dos gestores executarem bons projetos, que trazem resultados efetivos e benefícios para a população. Acreditamos que as soluções para os nossos problemas passam por olhar e reconhecer o que está acontecendo ao nosso redor. Todas as iniciativas deixam um legado para as gestões futuras e criam um ciclo virtuoso de boas práticas municipais. A nova mentalidade de mudança do país passa pela necessidade de os recursos serem bem aplicados, porque é por meio deles que é possível realizar aquilo que a população realmente merece”, afirma o presidente Sindafep, Osmar de Araújo Gomes.

Relacionados

3 DE OUTUBRO DE 2019

PAPEDH garante o acesso à educação para crianças que estão afastadas da escola

O Programa de Atendimento Pedagógico Domiciliar e Hospitalar (PAPEDH), desenvolvido pelo...

18 DE JUNHO DE 2019

Premiado pelo PGP-PR, Geo Guaíra aumenta arrecadação do município

No Brasil, é comum a falta de controle de residências construídas ilegalmente. As...